Raquel Rosa
Raquel Rosa

O que eu preciso saber antes de ir para a Bolívia

23 de junho de 2020
Eu Vivo

1. A Bolívia têm lugres incríveis

Embora seja um país em desenvolvimento, você consegue encontrar cidades com o ritmo frenético e urbano, como Santa Cruz, Cochabamba, Sucre, La Paz ou se deliciar com uma natureza extraordinária e lugares incríveis como em: Copacabana de frente para o Lago Titicaca e as suas incríveis Ilhas ( A mais famosa e frequentada é a Isla Del Sol), o Salar do Uyuni, a Ilha de Cactos, as Lagunas próximas ao Salar, o Monte Chacaltaya, o Valle De La Luna, as ruínas de Tiwuanaco, o Cemitérios de Trens, a Estrada da Morte. Dá pra montar um roteiro na Bolívia conforme as coisas que você gosta de fazer.

2. É um ótimo roteiro para Mochileiros

A Bolívia fica no centro-oeste da América Latina e faz divisa com vários países, fazendo fronteira com o Brasil a norte e leste, com a Argentina e o Chile ao sul e com o Chile e Peru a oeste. Então se você pretende fazer um “super tour” e conhecer vários países de uma só vez, a Bolívia pode ser uma ótima pedida, porque ela está no caminho para vários países.

3. Protetor solar e hidratante são indispensáveis

Se você esquecer esses dois acessórios, você está muito ferrado. Em algumas cidades você vai precisar mais de um do que de outro, mas a maioria do tempo, você vai precisar muito dos dois. Em lugares com alta altitude o sol fica mais intenso e mesmo com o frio, você pode virar um camarãozinho. E se você for pro Salar do Uyuni, Isla del Sol: PASSE MUITO OS DOIS, sem medo e sem economia.

4. Cuidado com o que vai comer

Tomando como referência os hábitos e a higiene brasileira, é preciso ter muita cautela com o que comer na Bolívia. Eu vi iogurtes fora da geladeira embaixo do sol serem vendidos, a senhora enfiar o copo e a mão juntos no jarro pra servir o suco, o suor pingar na comida, nada de luvas ou cabelos presos para cozinhar. Dizem que a estreia na Bolívia é pegar uma infecção alimentar. E como ninguém quer ficar doente na viagem é melhor prestar bem atenção no que vai comer. Levou uma semana depois que eu voltei da viagem para me recuperar do sanduíche que comi durante a trip.

5. Tudo é pago e quanto mais cara de estrangeiro mais caro

Confesso que essa parte foi a que mais me deixou brava durante a viagem, como muitas coisas são comercializadas na rua, são raros os lugares em que os preços são tabelados, por um lado é bom porque você pode tentar negociar, mas normalmente para tudo que você precisa, eles olham pra você e te dão um preço. Quando eu estava em La Paz, na rua de las Brujas, eu ouvi isso da vendedora “Você é Brasileira, não está caro. Para os Europeus é bem mais caro.” Outro exemplo foi quando estive em Copacabana e conheci dois Argentinos “Boludos” e o senhor me ofereceu um cartão de um hostel, e eu perguntei o preço e ele disse $40BOB, mostrei pros meninos e eles falaram com o Sr. sem mim e para os meninos ele fez $20BOB. Então fique esperto, negocie. E procure se informar ao máximo sobre os preços. E para os passeios, faça o orçamento em várias agências (Se precisar de uma, porque algumas coisas dá muito bem pra fazer sem agência). E tudo que você precisar você tem que pagar, inclusive o uso dos banheiros.

 

6. Documentos

Com o tratado do Mercosul e uma posterior extensão é possível aos sul-americanos viajarem para: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela, portando você precisa somente da sua carteira de identificação, mas mesmo com esse ”livre acesso” quando você declara a entrada na Bolívia você recebe um papel verde chamado “Permiso” e é importante que você o guarde com segurança, pois sem ele você está ilegal e sujeito a multa.

7. Pode ser a melhor viagem da sua vida

Durante a viagem é bem provável que você conheça muitos mochileiros e viajantes, e da maioria das pessoas com quem conversei, das mais diversas nacionalidades a viagem pra Bolívia e os países vizinhos estava sendo a melhor viagem de suas vidas. Foi a minha melhor viagem, e a melhor viagem da maioria do pessoal com quem eu troquei ideia. E mesmo a Bolívia sendo o país mais pobre da América Latina, tem uma cultura abundantemente rica. “Estado Plurinacional da Bolívia” a própria constituição procura reconhecer e proteger a diversidade de povos existentes na Bolívia. E pelos motivos já listados a cima (1 e 2), é um país lindo, que mesmo com toda a sua pobreza e dificuldades, tem lugares e pessoas extraordinários.

Dica extra:

Lenço Umedecido pode ser muito útil, devido a possibilidade de você não poder tomar banho por falta de chuveiro, ou porque vai estar muito frio e você não vai ter coragem de tomar banho, ou porque a água não esquenta, ou porque você não tem dinheiro pro banho ou até por não existir a opção banheiro.

Ps 2: Algumas paisagens compensam a falta de banho.

Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário