LPM
LPM

Eu vivo Jordânia (Overview)

14 de maio de 2018
Eu VivoLugares Pela ÁsiaLugares Pelo Mundo Árabe

A Jordânia hoje é um dos destinos mais exóticos e inspiradores do mundo. O país é por si só um monumento da história da humanidade. Suas ruas são como livros de histórias abertos que contam sobre os Amonitas, Amorreus, Coabitas e Edomitas que lá residiam e a partir do Séc. VII a. C. Além, é claro, da ocupação de muitos outros povos, como os Egípcios, Assírios, Persas, Gregos, Romanos, Árabes, Cruzados e Turcos-otomanos. Em outras palavras, é um verdadeiro baú de tesouros de civilizações milenares.

Entretanto, não é apenas pela história e cultura que chama atenção.  Quem passa por lá se surpreende com as belezas naturais, flutuações no mar morto ou mergulhos no Mar Vermelho, passeio de camelo pelo deserto, boa música, boa comida e um povo que recebe de braços abertos e sorriso no rosto seus visitantes sendo ótimos anfitriões.

Abaixo temos mais informações sobre a Jordânia, porém, você pode tirar a prova visitando o destino. Encontre sua passagem aqui e depois nos conte como foi!

Amã

A capital do país é um impressionante do passado  em contraste com presente e futuro. Ao conhecer a cidade você nota a mistura do antigo e do novo. Galerias de arte e boutiques estão lado a lado de tradicionais cafés e pequenas oficinas de artesãos.

Crédito: Pablocba / Visual Hunt / CC BY-NC-ND

Está localizada em uma zona de colinas entre o desertos e o fértil Vale do Jordão. Dispõe de inúmeros e interessantes lugares para visita, tal qual a Mesquita El-Malek Abdullah que, graças ao seu domo azul turquesa, pode ser avistada de quase qualquer ponto da cidade. Como vestígios de antigas civilizações, há o Teatro Romano e a Cidadela, ruínas históricas.

Crédito: Visualhunt

 

Mar morto e Mar vermelho 

Um dos mais belos e fantásticos cenários do mundo, a costa leste jordana do Mar Morto é não somente uma incrível paisagem natural como espiritual. Transformou-se em uma região central de turismo religioso e do turismo de saúde e bem-estar na região.

O que diferencia o Mar Morto é a sua água quente, balsâmica e super salgada. A água é cerca de dez vezes mais salgada que a água do mar, além disso é rica em sais minerais, como cloreto de magnésio, sódio, potássio, bromo e outros.

Crédito: Jjay69 / VisualHunt / CC BY-NC-SA

Outra coisa que chama atenção, que é consequência da densidade da água devido a presença de tantos minerais, é a capacidade de flutuação e também a famosa lama negra. Algumas grandes figuras da antiguidade,  incluindo o Rei Herodes o Grande e a Rainha Cleópatra do Egito, experimentaram o tratamento de beleza natural da lama enquanto boiavam de costas sem esforço. Consegue imaginar a cena?

Já o Mar Vermelho, que é um atrativo da cidade de Aqaba, oferece excelentes experiências de snorkelling e de mergulho. Ao contrário do Mar Morto, o Mar Vermelho possui uma impressionante quantidade de vida marinha, desde corais a golfinhos e tubarões. Contudo, se você não quiser mergulhar, ainda assim é um ótimo programa, isso pois lá estão disponíveis passeios em barcos com fundo de vidro, dando uma ótima vista das maravilhas do fundo do mar.

Crédito: Colin Tsoi / VisualHunt.com / CC BY-ND

 

Sítios arqueológicos: Petra  e Jerash

Petra é, além de uma das maravilhas do mundo, uma das maiores e mais importantes atrações do país. Uma cidade singular esculpida em montanhas gigantes vermelhas . É o típico local que explica a frase “ver para crer”. Fundada pelos árabes nabateus, por volta do século VI A.C., a tribo de nômadas se fixou na região e construiu um império comercial que ia até à Síria. Tornou-se localidade importante para a rotas da seda, das especiarias e outras rotas comerciais que ligavam vários países da antiguidade.

Crédito: Colin Tsoi / VisualHunt.com / CC BY-ND

No local, há dois interessantes museus: o Museu Arqueológico de Petra e o Museu Nabateu de Petra ambos com achados das escavações na região de Petra e que dão a conhecer o passado vivo de Petra. Apesar da cidade em si já ser, inegavelmente, um museu a céu aberto.

Jerash, ou Gerasa, como era conhecida a cidade em sua era dourada durante o domínio romano. É atualmente considerada uma das cidades romanas mais bem preservadas do mundo. Assim como Petra, a cidade ficou escondida durante séculos na areia, até ser “redescoberta” e começar a ser explorada no século passado.

Crédito: Antonio Campoy Ederra/ VisualHunt.com / CC BY

 

Histórias bíblicas

A Jordânia também foi palco de muitas histórias narradas pela bíblia. A cidade Madaba e os arredores são referidos por várias vezes no Antigo Testamento. Conhecida antigamente como Madeba, a região é mencionada em narrativas relacionadas a Moisés, Davi, Isaías, Jeremias, ou seja, parte muito importante da história judaico-cristã.

Lá estão lindas coleções de mosaicos bizantinos. Contudo, a obra que mais chama atenção, localizada a Igreja Ortodoxa de S. Jorge, é o mapa de mosaicos de Jerusalém e da Terra Santa – o mais antigo mapa religioso da Terra Santa que sobreviveu da Antiguidade até aos dias de hoje.

Crédito: D-Stanley / Visualhunt

Outro local muito importante para os fiéis é o Monte Nebo. Onde Moisés teria avistado Canaã antes de morrer. Uma basílica com muita história e uma impressionante coleção de mosaicos bizantinos está à espera dos peregrinos. 

E por fim, mas não menos importante, há o Wadi Rum.  Também conhecido como “vale da lua”, o deserto é como um labirinto. É formado por escarpas rochosas que se erguem como “arranha-céus” naturais. Em outras palavras, uma paisagem inexplicavelmente linda, certamente uma das joias do país.

Crédito: George Fischer

 

 

 

 

Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário
  1. […] tal acampar no meio do deserto da Jordânia? Mas esqueça o clichê de que acampamentos são desconfortáveis. Por lá, há várias opções de […]