Templo Zu Lai atrai adeptos e curiosos em busca da paz interior

5 de outubro de 2021
Travelpedia
O Templo Zu Lai, maior templo budista da América Latina, significa “o que foi além”, em chinês. Foi inaugurado em 5 de outubro de 2003.

Por Roberto Maia

Maior templo budista da América Latina, o Templo Zu Lai – que significa “o que foi além”, em chinês – foi inaugurado em 5 de outubro de 2003. Com 10 mil metros quadrados de área construída, ocupa uma área com 150 mil metros quadrados no município de Cotia, na região metropolitana de São Paulo.

Até quem não é adepto praticante da doutrina budista vai gostar do passeio. Então, programe-se para uma visita sem pressa ao local, onde a beleza e a tranquilidade reinante são inspiradoras. Logo na entrada, um belo e bem cuidado jardim com cerejeiras e um lago no estilo oriental e com carpas dão as boas-vindas aos visitantes. Ao longo do caminho, várias estátuas de guerreiros feitas em pedra sabão embelezam ainda mais o cenário. Mais próximo ao portal principal, chamado Portal da Montanha, uma estátua de Buda sentado parece receber a todos. A entrada é gratuita.

O Templo Zu Lai é o maior templo budista da América Latina. Foto: Webysther Nunes – CC BY-SA 4.0 via Wikimedia Commons

Já no interior do templo os ambientes remetem aos antigos palácios chineses. Uma grande estátua de Buda feita de jade se destaca na sala principal. Há, ainda, um incensário, onde discípulos acendem incenso como oferenda ao Buda em sinal de respeito e reverência, além de cinerário, livraria, museu, cafeteria, lojinha de suvenires e restaurante com bufê vegetariano a um preço fixo.

As visitas aos domingos são mais concorridas, então chegue cedo. Às 10h acontece uma cerimônia que vale à pena ser assistida. Nela, mantras (palavras sagradas) e sutras (escrituras budistas) são recitadas em chinês. Se preferir, aproveite o ambiente de tranquilidade apenas para meditar.

O Templo Zu Lai é rodeado por um imenso jardim com cerejeiras e estátuas de guerreiros. Foto: Carolina Maia/Travelpedia

Para participar das atividades desenvolvidas no Templo Zu Lai basta estar presente 15 minutos antes do início das mesmas. Não é necessário agendamento prévio. Quem desejar informações sobre o budismo ou tirar dúvidas, basta procurar os voluntários presentes em frente à Sala do Grande Herói e na recepção do santuário.

Passeios individuais ou em família não precisam ser agendados, basta comparecer durante o horário de funcionamento do templo. Grupos maiores, acima de 15 pessoas, podem solicitar visita guiada. Nesse caso é necessário agendamento prévio.

Por causa da pandemia da Covid-19, o Templo Zu Lai está fechado temporariamente e ainda sem data para a retomada das atividades.

Budismo ao alcance de todos

Ambientes no interior do Templo Zu Lai remetem aos antigos palácios chineses. Foto: Carolina Maia/Travelpedia

O Templo Zu Lai é representante do monastério Fo Guang Shan (Montanha da Luz do Buda), que tem raízes na filosofia do budismo Mahayana. A ordem religiosa com sede em Taiwan tem o objetivo de levar o budismo ao alcance de todos, através da educação, cultura, filantropia e purificação espiritual. Também cria grupos de ajuda humanitária e escolas em todo o mundo.

A história do Templo Zu Lai teve início em abril de 1992, quando da visita a São Paulo do Venerável Mestre Hsing Yün, que fora convidado para a consagração do templo budista Quan-Inn, na Zona Sul da capital paulista. Na ocasião, o casal Chang, generosos discípulos, participaram da cerimônia. Felizes ao ouvir as palavras de Darma – lei que determina a realidade espiritual de todos os seres humanos, e que se confunde com a doutrina do Buda – doaram o sítio da família para a ordem budista.

Na área doada, oito anos depois, teve início a construção do Templo Zu Lai. O projeto teve inspiração no estilo arquitetônico oriental dos palácios da dinastia imperial chinesa Tang (602-664 d.C), integrando também aspectos da arquitetura ocidental moderna. A obra contou com a participação conjunta de arquitetos chineses, taiwaneses, japoneses e brasileiros. Muitos dos materiais utilizados na obra tiveram que ser importados da China.

O Venerável Mestre Hsing Yün retornou ao Brasil para, no dia 5 de outubro de 2003, inaugurar e consagrar o Templo Zu Lai como sendo a Terra Pura do Budismo Humanista na América do Sul.

Agenda cultural

Esculturas de Buda estão presentes no Templo Zu Lai. A maior delas está Sala do Grande Herói. Foto: Carolina Maia/Travelpedia

Desde a sua abertura, o Templo Zu Lai mantém a tradição de realizar regularmente as práticas e cerimônias das escolas de pensamento budista Chan (um dos oito ramos do budismo chinês) e Terra Pura (vertente do budismo Mahayana que se caracteriza pela devoção ao Buda Amida, o Buda da Vida e Luz Infinita). E tem como fundamentos quatro pilares: o cultural, o educacional, o das ações sociais e o das práticas religiosas.

Ao longo dos anos, o Zu Lai realiza atividades com afluência de discípulos e simpatizantes cada vez maior. Busca também desenvolver estudos que se aplicam à vida do dia a dia, além de nacionalizar os ensinamentos do Darma, respeitando os aspectos da cultura local e solidificando os princípios de um Budismo Humanista no Brasil. Mantém uma intensa agenda cultural que inclui cerimônias e festividades, além de cursos de meditação, ioga e tai chi chuan entre outros.

Regras de comportamento

O portal principal do Templo Zu Lai é chamado Portal da Montanha. Foto: Carolina Maia/Travelpedia

Antes de visitar o Templo Zu Lai convém visitar o site oficial para tomar ciência do que não é permitido no local. Entre as principais regras de conduta estão as seguintes:

– Não usar roupas inadequadas como shorts, camisetas regata, vestidos curtos e decotes;

– Não levar bebidas e alimentos para o interior do templo;

– Não levar animais de estimação;

– É proibido fumar nas áreas interna e externa do templo;

– Evite posturas inadequadas como deitar pelo pátio, subir nas muretas e nas estátuas;

– É recomendável evitar contatos íntimos como beijos, carícias e abraços;

– Não tocar nos instrumentos de Darma;

– Não faça barulhos que possam perturbar a meditação, concentração e orações dos praticantes;

– Fotografias são permitidas nas áreas externas – jardins e pátio – desde que sem o uso de tripé. Também são proibidos o uso de drones, fotos ou gravações em áreas fechadas: Sala do Grande Herói, museu, Sala de Meditação, cafeteria, lojinha, entre outras. As sessões fotográficas ou de filmagem em qualquer área do templo, inclusive jardins, também não são permitidas.

Serviço

Endereço: Estrada Fernando Nobre, 1.461 – Parque Rincão – Cotia (SP)

Acesso: Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares

Horários de visitação: terça a sexta-feira, das 12h às 17h; sábados, domingos e feriados, das 9h30 às 17h; fechado às segundas-feiras (mesmo se feriado).

Obs.: Fechado temporariamente por causa da pandemia da Covid-19.

Informações: tel. (11) 3500-3600

VEJA também NO LPM!

Especial lugares pelo mundo

Especial Viagem de Motorhome

O Conteúdo Especial para esse mês é um apanhado de matérias relativas às repletas comemorações nacionais importantes que ocorrem durante todo o mês de Maio. Como o Dia das Mãs, Dia da Mulher, Separamos algumas matérias que podem te inspirar sobre os assuntos!

Não perca nenhuma noVidade

pt Português
X