Luciano Palumbo
Luciano Palumbo

7 dicas do que fazer em Belém, no Pará

31 de janeiro de 2019
Eu QueroPará

Maior cidade e capital do Pará, Belém também é o portal de entrada para a Amazônia. Ou seja, Belém é uma cidade encantadora e que merece ser visitada. Veja 7 dicas imperdíveis de o que fazer em Belém, no Pará. A cidade faz parte de um Brasil muito diferente cheio de tradições e culturas próprias. Singular!! Belém, no Pará é uma cidade encantadora e que merece ser visitada.

                                                                                                                                                                   Crédito – TurismoEtc

Conhecida como o portal de entrada para a Amazônia, a cidade (numa estimativa para 2017 do IBGE), soma uma população superior a 1,45 milhão de habitantes. Belém fica na foz direita do rio Amazonas, às margens do rio Guamá e, segundo a Prefeitura Municipal, “abaixo 1º da linha do Equador”. Por isso, o clima é quente e úmido.

                                                                                                                    Crédito – TurismoEtc

Mas, a cidade é chuvosa e ventilada, o que ameniza o calor da cidade. Ou seja, um clima quente, mas agradável. Belém é um ponto turístico em si. Reserva história e cultura aos montes e ainda possui uma cozinha autêntica baseada, sobretudo, na herança indígena.

Veja sete dicas imperdíveis listadas por mim para sua viagem a Belém, no Para.

1 – MANGAL DAS GARÇAS
Um dos cartões-postais da capital paraense, o Parque Naturalístico Mangal das Garças – mais conhecido apenas como Mangal das Garças – é uma visita importantíssima, se não obrigatória, para quem visita a cidade.

O local fundado em 2005, abriga diversos animais, sobretudo aves, que vivem tranquilamente na área do parque. Dá ainda para observar espécies da fauna e a grandeza dos rios amazônicos, no caso o Guamá e o Guajará.

Além dos animais, há lagos, equipamentos de lazer, restaurante e mirantes com lindas vistas do rio e da cidade.

                                                                                                                                                                    Crédito – TurismoEtc

2 – CATEDRAL DA SÉ E MUSEU DE ARTE SACRA
Inaugurada em 1771, a catedral possui painéis do italiano Domenico di Angelis e altar-mor doado pelo papa Pio IX. É deste templo que parte o Círio de Nazaré – em devoção à Nossa Senhora de Nazaré. Está é a maior manifestação religiosa do País, reunindo mais de dois milhões de pessoas.

O Círio de Nazaré é celebrado, anualmente, desde 1793, no segundo domingo de outubro. Ou seja, você já tem mais de uma razão para conhecer a região. O museu é o único de arte sacra da Amazônia, com exposição permanente de obras dos séculos 17, 18, 19 e 20.

A principal atração é a Igreja de Santo Alexandre, fundada em 1718. Possui linhas barrocas que contrastam com o estilo neoclássico da catedral da Sé, à frente. No interior, há mobiliário de madeira entalhada por jesuítas e índios.

                                                                                                                                   Crédito – TurismoEtc

3 – ESTAÇÃO DAS DOCAS
Inaugurada em 13 de maio de 2000, é um dos espaços que mais refletem a região amazônica. Referência nacional, o complexo turístico e cultural congrega gastronomia, cultura, moda e eventos nos 500 metros de orla fluvial do antigo porto de Belém.

São 32 mil metros quadrados divididos em três armazéns e um terminal de passageiros. Por isso, vale a visita!

4 – PASSEIO DE BARCO
É uma ótima opção para conhecer a cidade a partir da baía do Guajará. A embarcação, da empresa sai do cais na Estação das Docas e faz um giro pela acompanhando a margem voltada para Belém. O mais legal desse passeio é que do barco se vê alguns dos cartões-postais da cidade como o Mercado Ver-o-Peso, o Forte do Presépio, a Casa das Onze janelas e a Cidade Velha. Certamente um final de tarde de barco com esse visual seria inesquecível.

                                                                                                                                                                     Crédito – TurismoEtc

5 – VER-O-PESO
É um mercado, aberto em 1901, localizada na travessa Boulevard Castilho Franca, Cidade Velha, às margens da baía do Guajará. Ponto turístico e cultural da cidade, é considerada a maior feira ao ar livre da América Latina. Abastece a cidade com variados tipos de gêneros alimentícios e ervas medicinais do interior paraense, fornecidos principalmente por via fluvial.

 

6 – PARQUE E MUSEU EMÍLIO GOELD
Centro de pesquisa biológica e agronômica. Rara chance de conhecer, num único local, um verdadeiro santuário da fauna e da flora amazônicas. Ou seja, mais de 2.000 espécies de plantas e cerca de 600 animais em cativeiro ou soltos nos 52 mil m² do bosque.

Por lá você vai encontrar peixes-bois, pirarucus, araras de todas as cores, pés de guaraná, paus-brasis, vitórias-régias, castanheiras-do-pará e palmeiras de açaí. Na exposição permanente, há centenas de animais empalhados e objetos indígenas.

                                                                                                                                                                       Crédito:  Belemtur

7 – BOSQUE RODRIGUES ALVES
No centro de Belém, uma amostra da floresta amazônica original, com 2.500 árvores. Possui uma área total de 152 mil m2 com lagos, grutas e orquidário. Foi construído pelo barão de Marajó, que sonhava com uma réplica do Bois de Boulogne, de Paris. No zoológico, há animais amazônicos como peixes-bois e tartarugas.

Em Belém faz calor o ano inteiro. E não existem “épocas especiais” para se visitar o destinos. Ou seja, o ano inteiro tem boas atrações por lá.

A época das chuvas, chamada de “inverno”, vai de dezembro a abril. Já o “verão”, melhor período para os passeios, acontece entre junho e novembro.

Porém, é no mês de outubro que é realizado o Círio de Nazaré, maior evento da capital. Para participar da festa é recomendável fazer reservas de hospedagem com antecedência e se preparar para preços mais elevados.
No mês de maio, acontece o Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense. Ou seja, a boa gastronomia tá mais que garantida nessa exótica cidade brasileira.

Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário