Heitor e Silvia Reali
Heitor e Silvia Reali

Aysén, a Patagônia de todas as águas

04 de junho de 2018
Eu CompartilhoLugares Pela América do Sul

crédito: Viramundo e Mundovirado

Por Heitor e Silvia Reali
do Viramundo e Mundovirado


 

A alma anseia partir e o corpo pede se pôr em liberdade. Por isso escolho viajar pra Aysén, na Patagônia chilena. Terra de grandes espaços com sua geografia louca, uma das mais pristinas naturezas do mundo, que abriga imensa reserva de água doce com seus fiordes, rios, cachoeiras, lagos, e geleiras em límpidos tons de azuis.

Carretera Austral, onde em cada curva muda o clima e a paisagem | Crédito: Viramundo e Mundovirado

Em algumas horas de viagem, a partir de Santiago, já aterrisso em Balmaceda. A extensa planície recoberta de verde claro e brilhante não oferece nenhum obstáculo aos olhos até o horizonte. Meu destino é Puerto Chacabuco, onde ficarei instalada durante uma semana. Dali partem os principais roteiros de barco ou em vans pela Carretera Austral. Nesta estrada, vou me encantando com as solenes montanhas com topete salpicado de neve que me sugerem matronas robustas de cabelos brancos sentadas com seus vestidões azuis e violetas. Ao virar a curva a paisagem muda radicalmente: a planície deu lugar a montes arredondados onde um rio de purpurina prateada desliza por entre as árvores arrayán, lenga, maitén e allerce.

Na Carretera Austral é comum cruzar com ciclistas e mochileiros de todas as nacionalidades | Crédito: Viramundo e Mundovirado

Enquanto me familiarizo com essa nova paisagem, cruzo com duplas de ciclistas suíços que compartilham a mesma bike. E, o dia se finda. Agora, já no interior do hotel Loberias del Sur, todo de madeira, em Puerto Chacabuco, me aconchego no edredom macio e embalada pelo silêncio espantoso, penso em como é bom viajar.

Durante uma viagem meus sentidos ficam à flor da pele, e todos ao mesmo tempo investigam, despertam, descobrem, informam e aguçam. Procuro viajar atenta e deixar o caminho aberto para entrar o espírito da criança que um dia partiu de férias e hoje revive seu primeiro dia de viagem.

Geleira São Rafael | Crédito: Viramundo e Mundovirado

De Puerto Chacabuco parto no catamarã Chaitén, com destino ao glacial San Rafael. Navegamos de quatro a cinco horas ziguezagueando em uma trama de canais, lagunas, estreitos e ilhotas. Tive a oportunidade de observar as aves que vivem dessas águas como o ganso caiquén com seu belo pescoço cor de zarcão e plumagem verde metálico, a bandurria buff que nidifica nos paredões das margens, e o martim pescador.

A viagem para o glacial San Rafael demora em média 10 horas (ida e volta) no confortável Catamarã Chaitén  | Crédito: Viramundo e Mundovirado

À medida que o catamarã chega próximo ao glacial a visão surpreende pela monumentalidade: uma colossal parede de gelo azul com até 60 metros de altura, tapa todo o final da laguna. Para que os viajantes possam ver mais de perto essa muralha, embarca-se nos zodíacos, botes de borracha. Vez ou outra blocos se desprendem da geleira e multiplicam-se em icebergs.

Salmão, um prato típico da Patagônia | Crédito: Viramundo e Mundovirado

Hoje foi dia de compartilhar com os chilenos seus sabores regionais. De entrada escolhi uma salada inusitada: talos de folhas de nalca, de sabor algo semelhante aos talos de salsão só que mais crocante. Na sequência provo salmão fresco servido com os bons vinhos brancos chilenos como o Premium Chardonay, da Concha y Toro, com reflexos dourados. Depois foi a vez do cordeiro assado à moda patagônica no fogo de chão. E de sobremesa fiquei com as frutas doces da estação: pêssegos e cerejas.

“Capillas de Marmol”, uma das mais belas paisagens de Aysén | Crédito: Viramundo e Mundovirado

A fim de mergulhar mais nessa atmosfera patagônica viajo até Puerto Tranquilo, onde embarco agora para ver uma das “siete maravillas naturales del mundo”, me informa o barqueiro com entusiasmo patriótico. Algo inexplicável envolve os blocos de mármore que emergem das águas cristalinas e azuis do lago Carrera, conhecidas como ”Capillas de Marmol”. Há casos de viajantes que não conseguiram ver as cavernas labirínticas devido um inesperado nevoeiro, ou no meio da travessia as águas se agitam e obrigam a lancha retornar.

Com certeza Michelangelo surtaria ao ver pela primeira vez as Capillas de Marmol | Crédito: Viramundo e Mundovirado

Por isso quando alla prima cheguei até elas, me senti agraciada. Esculpidas durante milhões de anos pela água e pelo vento, as cavernas têm grafismo dramático e múltiplas texturas e cores. Em dias de luz excepcional e com as águas muito tranquilas, pode-se ver ainda as diferentes formações submersas. Arrebata.

Carretera Austral ladeada por lupinos (flores nativas da Patagônia) | Crédito: Viramundo e Mundovirado

A viagem tão sonhada chega ao fim. A caminho do aeroporto pela Carretera Austral sou tocada mais uma vez pela paisagem. Fixo as pradarias a perder de vista forradas de dente-de-leão amarelo, ou de lupinos, flores que furam a cama verde das folhas e emergem qual espigas em tons de rosa, lilás e roxo. Nos lugares mais úmidos quem se destaca é a nalca com suas folhonas e flor que lembra uma gigante taturana vermelha.

Busco quase decorar as imagens para, quando estiver em casa, poder voltar na imaginação a esse lugar.

Silvia e a alegria simples de estar em Aysén | Crédito: Viramundo e Mundovirado

Onde ficar

Hotel Loberias del Sur | Crédito: Viramundo e Mundovirado

Hotel Loberias del Sur Onde ficar: Hotel Loberias del Sur, Puerto Chacabuco. Excelente localização, amplos e confortáveis quartos, substancioso café da manhã, almoço e jantar com produtos regionais como peixes e mariscos sempre frescos, Wi-Fi gratuito, além de oferecer as principais excursões pela região de Aysén, www.loberiasdelsur.cl

Viramundo e Mundovirado

Heitor Reali é jornalista e fotógrafo e já foi engenheiro, Silvia Reali é artista plástica, jornalista e fotógrafa. Vivemos em São Paulo, conhecemos 90 países, e somos apaixonados pelo Brasil.  Acompanhe os autores também no Viramundo e Mundovirado  (no Facebook e Instagram), no Blog do Estadão: Viagens Plásticas,  na coluna no Catraca Livre, no Viver Agora e também o Atelier Reali.

Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário
  1. Robson Suzart   •   05/12/19   •   09h28

    Muito lindo! Vou lá um dia, com certeza!