LPM
LPM

5 destinos para praticar sandboard

19 de dezembro de 2019
Eu Quero

Para quem gosta de adrenalina não existe tempo ruim. Um bom exemplo disso foram os surfistas, que entediados nos dias de poucas ondas, resolveram pegar pedaços de pranchas quebradas para descer as grandes dunas de areia em Florianópolis. Assim nasceu o brasileiríssimo sandboard, que logo se espalhou por todo mundo. 

Muito parecido com o snowboard, o esporte se tornou uma ótima alternativa para as pessoas que não se dão muito bem com o frio, mas sempre quiseram ter a sensação de deslizar sob uma colina. Listamos 5 destinos muito para ter uma primeira experiência com o sandboard.

Valle de La Muerte – Chile

Crédito: The shiningsGeorge on Visualhunt

Nascido no Brasil, o sandboard se espalhou rapidamente pela América do Sul. Logo, ele saiu das dunas do litoral brasileiro e foi parar nas dunas do Atacama. O Valle de La Muerte é um dos lugares mais famosos do Chile para a prática do esporte e é muito procurado por profissionais e turistas, que buscam se aventurar pela primeira vez.

As dunas ficam a cerca de 4km da cidade de San Pedro de Atacama, e existem diversas maneiras de chegar até lá. A principal opção entre os turistas é contratar uma tour guiada, que conta com um guia experiente que vai te instruir e dar algumas dicas para suas primeiras descidas.

Florianópolis – Brasil

O berço do sandboard não poderia faltar em nossa lista. A praia da Joaquina, em Florianópolis foi onde o esporte de fato nasceu e até hoje é um lugar muito procurado para praticá-lo.



Os turistas que vão até as dunas da Joaquina pela primeira vez ficam, não só maravilhados com a beleza do lugar, mas também com o show de manobras apresentado pelo atletas profissionais. Com tanta adrenalina fica difícil não querer experimentar também. Para isso, você pode alugar pranchas que vão desde as tradicionais, para descer de pé, até trenós para descer sentado ou em dupla, caso esteja um pouco inseguro. O você que não pode é ficar sem experimentar essa aventura!

Monte Kaolino – Alemanha


O Monte Kaolino é uma grande duna artificial de areia localizada em Hirschau, na região da Baviera na Alemanha. A duna consiste em 35 milhões de toneladas de areia, feitas a partir de detritos da produção de caulinita. Atualmente ela é um ponto turístico da região e se tornou uma estação para os praticantes de sandboard.

O local é muito famoso dentro do esporte, inclusive é sede do campeonato mundial de sandboard. Além do maior atrativo, que é se deslizar montanha abaixo, o turista também pode aproveitar o parque, as trilhas e as piscinas que foram criadas visando aumentar o turismo na região.

Cerro Blanco – Peru

No vale do Nazca, no Peru, encontramos a Cerro Blanco, uma das mais famosas dunas para a prática do sandboard. Sendo a mais alta do Peru, com aproximadamente 800 metros de altura, ela pode ser bem desafiadora para os sandboarders de primeira viagem, porém existem outras dunas menores nos arredores, que vão proporcionar uma ótima primeira experiência.

Mas mesmo não sendo um profissional, vale muito a pena subir até o topo da Cerro Blanco. A caminhada é longa, mas a chegada é recompensadora. Você vai se deparar com uma vista panorâmica do vale do Nazca, um dos mais famosos cartões postais do Peru. É simplesmente incrível!

Deserto do Saara – Marrocos

Crédito: Surfing The Nations on Visualhunt.com

Para finalizar, não podíamos nos esquecer do maior e mais famoso deserto do mundo: o Saara. Marrocos além de muito famoso por ser um destino para os surfistas do mar, também atrai os surfistas da areia, que buscam desbravar as suas dunas.

Na porção marroquina do deserto, é possível encontrar diversas tours que unem um agradável passeio de camelo à uma aventura radical descendo as dunas. As excursões são muito recomendadas para iniciantes, que além de se divertirem com o esporte também podem apreciar o mar de areia que é o Saara.


Leia Também
Comente com o Facebook
Deixe seu Comentário
  1. […] E, do outro lado da realidade, tem o Caio, o filho pródigo da trip, o irresponsável. É um generoso sem querer ser: até agora, de cidade em cidade, ele foi deixando seus pertences — em Florianópolis, numa festa, largou a bolsa com os óculos de sol; no mar gélido de Cabo Polonio, onde resolvemos, todos que estavam presentes, nadar pelados, a força das ondas lhe arrancou cueca e shorts, que estavam pendurados na cabeça (veja que ideia). Teve que voltar para casa com a minha cueca emprestada e, dessa vez, não foi o único: Emily, nossa colega inglesa de viagem, também deixou de presente para Iemanjá calcinha e sutiã. (A beira do mar de Cabo Polonio já é quase um brechó.) Foi um show de nudez em plena praia deserta. Digno de mais uma regravação de Lagoa Azul. […]